quarta-feira, 7 de junho de 2017

Ultravioleta - A monarquia das Flores

Olá meus amores como estão?

Temos hoje mais uma resenha! Desta vez, irei descrever à vocês sobre o livro da autora Beatriz Moraes, "Ultravioleta - A monarquia das Flores".
 
   Neste livro nos deparamos com Valerie a qual mora com a mãe e uma irmã, refugiadas da guerra numa cidadezinha isolada e em segurança, longe da guerra, chamada Noary.
    Nossa personagem principal sempre soube que era diferente com ambições e sonhos diferentes. Valéria não consegue dormir bem por conta de seus sonhos, sempre envolvendo uma rosa, esse sonho é visitado sempre por um garoto belo mas não um amor em pessoa. Nesse lapso temporal da história chega na cidade um garoto novo, Randy, junto com a sua família. E o rosto do garoto novo é igual ao do garoto dos sonhos.

    Junto com a chegada de Randy, coisas estranhas começam a acontecer, pessoas estão sendo mortas e desaparecem de uma hora para outra, talvez o que esteja acontecendo nesta pequena cidade tenha relação com os sonhos de Valerie. O pai da jovem é um desses que sumiram do nada, mais há algo estranho, no dia do seu desaparecimento foi encontrado em seu carro uma rosa, e essa mesma rosa aparecia constantemente nos sonhos de Valerie.

    Com o tempo, os pesadelos de Valerie passam a ser mais reais, ela começa a ver seres estranhos em plena luz do dia que a perseguiam onde quer que ela fosse. A partir daí ela começa achar que seu melhor amigo, Randy sabe algo e esconde dela, pois nos seus sonhos Valerie encontra um garoto parecido com seu amigo. Vale ressaltar que ela conheceu Randy na escola, enquanto o mesmo levava uma surra de um valentão que mandava e desmandava por lá.

    A narração é em primeira pessoa pela visão de Valerie que deixa a trama mais subjetiva, dando-nos a sensação de proximidade dos fatos, mais ao mesmo tempo a gente fica também com um pé atrás com tudo que acontece.

    Depois de tudo o que está rondando de diferente na vida de Valerie, pra completar sua irmã desaparece e isso deixa a jovem ainda mais desestruturada, pois sua irmã era muito especial para ela. E as coisas começam a ligar-se, formando um certo sentido para Valerie. Aquela rosa que sempre estava presente em seus sonhos nada mais é do que uma arma chamada Charmosian que ajudará Valerie em sua jornada a outra dimensão, a dos mortos, chamada de A monarquia das rosas.
 
   Aqui temos a morte traída, o mundo que conhecemos desmorona e acreditamos que o amor salvaria. Porém, o destino é mais rápido e o enredo mais intrigante ao ver duas pessoas de universos diferentes serem unidas por uma terrível maldição que se alastra. Entre as faíscas de amor e ódio, há um turbilhão de inimigos que se levantam, cada vez mais sedentos pela humanidade que ainda existe em suas almas. Assim, encontramos respostas para o inicio e o fim, nesta luta pela descoberta da verdade e da força existem reviravoltas que nos prendem. A trama é costurada por reviravoltas marcantes na vida de nossa personagem principal Valerie, desde o inicio em que sonhos revelaram a ela a força da realidade, redescobrindo o real significado do viver. E, na guerra  ou na glória, sempre guiando-se pelo sol.

Falando sobre a parte física do livro, ele possui 489 páginas de puro mistério com capítulos que alternam do médio para o pouco. São vinte e quatro capítulos muito bem escritos; fácil compreensão e linguagem em alguns momentos difícil mas nada que lê com a atenção não resolva.
 
Sempre se lembrará estranha rosa apoderada em chamas, chamuscando tão singularmente quanto as  próprias cores da alvorada.
 
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário