domingo, 25 de setembro de 2016

Os crimes do ABC - Agatha Christie

    Sim, Agatha Christie de novo e terá mais pois eu tenho dois boxers dela ja e a meta é os 6 box com 3 livros cada! Loucura? Gosto de chamar paixão pela inteligência da autora que não é a toa que tem o título de Rainha do Crime. A Agatha é simplesmente a autora com mais livros vendidos em todo o mundo! Ela perde apenas para a Bíblia e Shakespeare, são os únicos até hoje que conseguiram bater o sucesso de Agatha Christie.
     Pois bem vamos ao livro, hoje eu trago para vocês OS CRIMES DO ABC. Esse livro é intrigante, calculista e inteligente! Porquê? Por que pensem comigo como que um investigador com renome que é o caso do Hercule Poirot recebe uma carta de aviso assinalada pelo ABC - que é o criminoso que você veram que não é quem pensamos ser - de um crime que acontecerá na data do dia 21 de Julho na cidade de Andover o qual ele fala que será o início da brincadeira em que Poirot desejará jamais ter participado, intrigante não?
      No desenrolar dessa história o dia chega, e realmente na tarde do dia em questão uma senhora dona de uma tabacaria chamada Sr. Ascher, que era ex-esposa de  um alcoólatra, morre com um golpe na cabeça e o mais calculista foi que na cena do crime foi deixado um guia ferroviário também chamado ABC aberto na página que marcava a cidade de Andover! Alguns dias depois chega uma nova carta, nela está escrito que o assassino quer desafiar Poirot a tentar resolver a série de assassinatos que estão por vim e apenas avisa que o próximo será na cidade de Bexhill, e claro como Poirot é inteligente ja acredita que a próxima vítima seja com o nome e sobre nome com a letra B, assim como foi com o caso de Andover - Alice Ascher.
        O crime em Bexhill acontece. Uma linda jovem garçonete chamada Betty Barnad é estrangulada com o próprio cinto que usava quando saiu com o assassino para uma Praia. É a partir daqui que entra na história um senhor chamado Sir Camichel Clark que seria o alvo da próxima morte. Com a entrada desse personagem conhecemos a sua família e quem diria ali em meio a eles estava o assassino! Até que descobriremos que ele é o assassino, somos induzidos a acredita que o louco que comete esse crime e os outros que virão é Alexander Bonaparte Cust ( as iniciais do nome dele foram usada para fazer o disfarce do ABC).
       Esse pobre coitado que é epiléptico cuja auto-estima é totalmente abalada, que já participou da guerra e agora vende meias, é usado por Franklin Clark, voialá este é o nome do nosso assassino! Franklin tem uma inteligência usada para o mal como ninguém! Ele inventa uma empresa que vende meias e atrai Cust para trabalhar vendendo-as e criando assim álibis para incriminá-lo, pois em todos os locais onde ocorreu os crime Cust passou por perto vendendo meias. Sua aparência intimidava qualquer um que o visse, era carece usava óculos e mancava de um lado da perna, roupas surradas e olhar cabisbaixo, não encara ninguém.
      A cada crime surgem novos personagens que vão dando enredo a trama. Cada um contribui de alguma forma para que Poirot comece a ir desvendando o caso.
       O terceiro crime se consolida. Lembra de Sir Camichel Clark? Pois bem ele é irmão do assassino e a partir desse pressuposto podemos ir junto com Poirot encaixando as peças. Franklin Clark é o assassino revelado apenas no penúltimo capítulo da trama, seu motivo era a fortuna de seu irmão ja que a mulher de Sir Camichel Clark estava muito doente e não poderia assumir. Então após a morte de Sir Camichel Clark, na cidade de Churston,  Poirot juntamente com os parentes das vítimas: a irmã de Betty Barnad, Megan Banard, o namorado da vítima, Donald Fraser, o irmão se Sir Camichel Clark, Franklin Clark - que ainda não foi descoberto nesse momento-,  a secretária de Sir Camichel, Thora Grey, a sobrinha da Senhora Ascher, Mary Drower, Hasting um amigo de Poirot e montaram uma equipe especial para evitar que na cidade de Doncaster se concretize o próximo crime.
       Sem sucesso, dentro de um cinema na cidade de Doncaster o crime anunciado se concretiza. Dessa vez um homem morre por engano, esfaqueado por trás da poltrona onde estava, a vitima era outro que foi ao banheiro e sentou em uma cadeira diferente. Essa parte é engraçada,  pois é nesse lugar que tanto o assassino verdadeiro quanto Alexander Bonaparte Cust se encontram. O verdadeiro ABC mata o homem e coloca embaixo de sua poltrona um guia ABC que identifica a série de crimes. Porém, os dois se esbarram e o ABC colocaa faca do crime no bolso de Cust, que ao descobrir acredita ser o verdadeiro ABC. Ele em um ataque de medo e começo de convulsão sai de modo automático em direção a delegacia de Andover onde tudo começou. Cust acredita que é o assassino que cometeu a série de mortes horrendas.
      Quando Cust encontra Poirot, o detetive belga percebe que ele não é e nem pode ser o verdadeiro ABC. Ele não tem motivos para ser um assassino em série e nem se quer conhece Poirot o qual todas as cartas foram endereçadas. É aqui que Poirot da o veredito final. Em uma reunião na sua casa com o cerco todo armado Poirti esclarece o fato, e quando fala que o assassino o qual assinalava como ABC é Franklin Clark, o mesmo tenta se matar. Mas o nosso detetive ja tinha pensado em tudo,  inclusive nessa possibilidade. Um novo mordomo que é amigo de Poirot retira as balas da pistola de Franklin e depois a coloca no lugar, quando ele descobre isso fica furioso. Depois é preso.
       Temos no último capítulo o que chamamos de final feliz e um convite para os próximos livros. Existem vários outros personagens que optei em não trazê-los aqui porque claro não vou falar tudo. Então é isso, espero que tenham gostado, um grande beijo e até mais!!!
      

Um comentário:

  1. Apesar de muita curiosidade, ainda não li nenhum livro da Agatha Christie. Mas depois desse post, minha vontade de conhecer os livros dela só aumentou! Com certeza na minha próxima compra de livros, ele estará na lista. Amei!

    ResponderExcluir