domingo, 21 de maio de 2017

As Crônicas do Planeta Alma - Jairo Azevedo

Olá meus amores? Como vocês estão?

Preparados para conhecer mais uma resenha? Hoje conheceremos o livro do autor Jairo Azevedo, as crônicas do planeta alma. Este título é uma mistura de ficção e aventura. Vamos lá?

    Antes de começar a entrar no enredo propriamente dito, vou falar sobre a parte física do livro. Ele é de tamanho médio, tendo duzentas páginas; sua escrita é de fácil compreensão em forma bem clara, de forma que mesmo possuindo capítulos curtos não nos falta detalhes os quais são suficiente para a melhor compreensão da história.
    A história de hoje se passa no Planeta Alma, onde todos são imortais e vivem em vários lugares do Reino neste Planeta. Dentre estes Reinos estão o do País da Bondade, do País da Maldade e reino do Continente dos Conhecimentos. O País da Bondade é liderado pelo Rei Ignis e pela Rainha Ananda, os dois possuem vários filhos que não foram gerados por eles. Os filhos são gerados pela Deusa Sasvatã, a criadora do Planeta Alma, por isso eles já nascem adultos e são enviados pelos reis até a Rainha Sofia, do Continente dos Conhecimentos, para receberem os ensinamentos necessários à respeito do planeta.
    Possuímos aqui uma personagem principal, a Princesa Asan. Em seu nascimento que se decorreu no Rio da Vida, algo que não ocorria a muitos anos no Planeta, e logo é levada até o País da Bondade. Chegando lá, ela é recebida com muita felicidade pelo Rei Ignis, que a manda rapidamente para a Rainha Sofia, para que a mesma lhe dê o conhecimento pleno. Contudo, algo inesperado acontece, a Rainha Sofia se recusa à ensinar Asan, pois ela acredita que o Rei Ignis teria assassinado seu marido, mandando ele para o Milênio, lugar onde as pessoas mortas passam mil dias até renascerem. Tal atitude e acusação deixa Ignus completamente irritado, fazendo-o preparar seu exército para uma batalha iminente.
     Com este conflito a tensão da guerra  cresce, o que deixa somente o Rei do pais da Maldade, Svartã, feliz, pois uma antiga lenda diz que se uma guerra entre os povos ocorrer, os dois sóis que iluminam o planeta (não existe noite por lá), que eles acreditam ser os olhos da Deusa Sasvatã, ficarão negros e a noite caíra. O que daria ao Rei Svartã a oportunidade perfeita para realizar seu desejo de se tornar o soberano de todo o planeta. Mas será que o plano de Svartã se concretizará? O que irá acontecer com a Princesa Asan? Qual o futuro do Planeta Alma? Isso vocês terão que descobrir.
      Eu gosto de livros de fantasia, por mais que a literatura policial a "la Agatha Christie" me fascine. Esta aventura e fantasia se misturam a tal ponto de nos prender ao livro. Há todo um ciclo muito bem pensado sobre como desenvolver  o enredo, e posso ainda mais dizer que por mais que o livro seja médio está a altura de muitos famosos. Devo confessar que não sei de onde o autor tirou estes nomes mas o que me ajudou a entender foi o glossário no final do livro; ficava lendo o capitulo com a mão no glossário para entender melhor os nomes e as gírias que ele inventou. Um verdadeiro toque de talento afinal, pois para mim noite sempre foi noite mas lá é o período de trevas dita pela lenda de Svartã.

É uma ótima pedida para quem gosta de ficção, fantasia misturadas a uma boa dose de aventura. Vocês irão vê o quanto nossa imaginação voa ao tentar visualizar o Planeta Alma. Indico por ser um bom livro e não por que é um autor parceiro, como vocês sabem eu escolho a dedo os meus autores parceiros, e quando o livro não me agrada eu falo mesmo. Ainda bem que eu tenho a sorte encontrar bons títulos.

Caso queiram encontrar o autor ele está no instagram e seu contato já se encontra na aba "autores parceiros", e o seu livro foi publicado pela Editora Selo jovem, vocês podem adquirir pelo site www.selojovem.com.br . As redes sociais do autor vocês podem encontrar no face, instagram - como já havia dito - e skoob.

Um grande abraço amores, até a próxima.


2 comentários:

  1. A resenha ficou incrível!!! Muito obrigado!!!

    ResponderExcluir
  2. Eu que agradeço por ter me proporcionado uma leitura tão prazerosa!

    ResponderExcluir